Doacao Sangue

Saiba como o seu sangue pode salvar muitas vidas

Quando falamos sobre caridade, sempre ouvimos das pessoas que elas não fazem bem ao próximo porque não sobra tempo para visitar abrigos, não sobra dinheiro para comprar cestas básicas e não sobra disposição para participar de ações em prol de alguma causa. Como dar ao outro se você não tem?

Pensamos sobre esse assunto e descobrimos algo que todo mundo tem para doar, é de graça, ocupa pouco tempo e não precisa fazer esforço físico. Algo que pode ser mais importante do que uma cesta básica ou qualquer outro bem material. Estamos falando do sangue.

Começou o Junho Vermelho, campanha que pretende conscientizar as pessoas sobre a necessidade da doação de sangue. O gesto é simples, mas pode salvar vidas. E na Baixada Santista, é bem fácil doar porque a maioria dos municípios possui bancos de sangue.

Mas, por que as pessoas não costumam doar sangue? Com a palavra, o Dr. Edmir Boturão. “A resistência pode ser por vários motivos. Por medo, por achar que há riscos, por achar que nunca vai precisar receber uma transfusão, entre outros”, explicou. O médico é responsável pelo banco de sangue da Santa Casa de Santos, e ninguém melhor do que um especialista para listar os requisitos que validam e impedem a doação. Deem uma olhada:

 

QUEM PODE DOAR

– Homens e mulheres saudáveis, de 16 a 69 anos, com mais de 50 kg.

 

QUEM NÃO PODE DOAR

– Homens e mulheres que estiveram doentes, realizaram cirurgia, fizeram tatuagem ou colocaram piercing pouco tempo antes da doação;

– Homens e mulheres que fazem uso de determinadas medicações;

– Homens e mulheres portadores de doenças crônicas.

 

Há vários outros motivos que impedem a doação de sangue, mas cada caso deve ser analisado de forma particular. Para isso, após o cadastro no banco de sangue, os candidatos passam por triagem clínica e entrevista antes da coleta, que dura de 5 s 15 minutos. Todo o processo é bastante rápido. Em uma hora, no máximo, o doador está liberado e ainda ganha um lanche, para sair do banco de sangue bem nutrido.

E tem mais. Todos os bancos de sangue da região contam com televisão e wi-fi para garantir que os doadores tenham um momento agradável, enquanto fazem o bem. Então vocês podem levar o smartphone ou tablet para usar redes sociais, assistir aquele filminho, até conversar com a galera e chamar geral para doar também. Não é uma excelente ideia?

Para que vocês se sintam mais seguros, outra informação do Dr. Edmir Boturão. “Geralmente, os doadores não sentem nenhum desconforto. Em alguns casos, podem sentir um pouco de tontura, mas todas as salas são monitoradas por médicos e enfermeiras prontos para esclarecer dúvidas e auxiliar durante a doação”, esclareceu.

Querem mais um incentivo para doar sangue? A gente tem números. Para a Organização Mundial de Saúde (OMS), o ideal é que 3% da população realize doações regularmente. Os homens podem doar até quatro vezes por ano, e as mulheres, até três vezes. Mas, no Brasil, os dados mais recentes apontam que apenas 1,5% da população doa sangue. Por isso, várias regiões possuem pouco ou nenhum estoque nos bancos de sangue.

Todos os tipos sanguíneos são necessários, especialmente o O+ e o A+, os mais comuns na população. Por outro lado, os tipos sanguíneos negativos são mais raros e também bastante procurados, quando há pacientes que precisam deles. Estamos falando do O-, A-, B- e AB-.

Para salvar a vida de pacientes com diversas doenças, cada quantidade de sangue doada é dividida em quatro partes, que recebem o nome de hemocomponentes. De acordo com a necessidade, cada paciente poderá receber um ou mais hemocomponentes, o que explica como o sangue auxilia mais de um paciente no encontro da cura.

Façam parte desse movimento pela saúde. Doar sangue é doar vida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *