001

Descubra mitos e verdades na prevenção do câncer de próstata

Depois do ‘Outubro Rosa’, é a vez de outra campanha chamar atenção para um assunto importante, dessa vez relacionado à saúde masculina. Trata-se do ‘Novembro Azul’, que encoraja os homens a se prevenirem e investirem na detecção precoce do câncer de próstata. A doença costuma ser descoberta já em estágio avançado porque, muitas vezes, não apresenta sintomas e o exame de toque, um dos métodos de detecção, ainda é um tabu entre os pacientes. Mas, a ideia é deixar o preconceito de lado e se prevenir.

Para esclarecer as principais dúvidas sobre o câncer de próstata, conversamos com o urologista Fábio Atz Guino. De acordo com ele, a questão que mais gera perguntas é mesmo sobre o exame de toque. “Sim, ele é necessário. São utilizados dois métodos para a detecção da doença, que são o toque e o exame de sangue, chamado de dosagem de PSA. Mas, o exame de toque ainda é responsável pela detecção de 20% dos tipos de tumor”, explica o urologista.

Outro assunto que gera dúvidas é o tratamento. “Nem todo paciente adquire incontinência urinária ou disfunção erétil após o câncer. Depende do perfil do paciente e do tratamento ao qual ele foi submetido”, comenta. Os procedimentos cirúrgicos têm evoluído para preservar o paciente dessas duas situações.

O urologista defende o diagnóstico precoce, e afirma que nem todo câncer mata. “O câncer de próstata é bem parecido com o câncer de mama quando se fala em chances de cura, se a doença for diagnosticada no início e tratada corretamente. Existe um alto índice de sucesso”, diz.

E se o paciente apresenta hiperplasia prostática, que é o aumento do tamanho da próstata, ele terá câncer no órgão? A resposta é: não necessariamente. O urologista esclarece que não há relação direta entre as doenças. “Os cânceres podem estar presentes em próstatas pequenas, um pouco aumentadas ou muito aumentadas. O que acontece é que a hiperplasia prostática também aumenta o valor do PSA, e isso confunde o diagnóstico”.

Quanto ao grupo de risco para a doença, o fator hereditariedade conta, e há uma curiosidade. Os homens da raça negra possuem maior chance de desenvolver o câncer de próstata. Dá uma olhada nos dados:

 

– Um parente direto = 2,5% de chance de desenvolver a doença

– Dois parentes diretos = 6% de chance de desenvolver a doença

– Três parentes diretos = 11% a 12% de chance de desenvolver a doença

 

Porém, todo homem com mais de 45 anos deve realizar os exames preventivos anualmente. E os homens que ainda não atingiram essa idade podem se cuidar com boa alimentação e exercícios físicos.

Por fim, o urologista informa que ainda não existe um exame de imagem capaz de confirmar o diagnóstico de câncer de próstata. A biópsia é o exame que confirma ou descarta a suspeita desses tumores.

Viu só como o preconceito é uma grande besteira perto da sua qualidade de vida? Dispense a armadura, não banque o super-herói e cuide-se!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *